Seja Nosso Patrocinador
Dr Franco Marcio
Rota Beer Distribuidora
Hot Dog Parada
Erasmo sabino
Nordeste Pisos

Categoria: , ,

Rei Charles III é coroado em cerimônia na Abadia de Westminster

O rei Charles III foi coroado, neste sábado (6), na Abadia de Westminster, em Londres, ao lado da rainha consorte Camilla.

O monarca assumiu o trono do Reino Unido em setembro do ano passado, após a morte de sua mãe, a rainha Elizabeth II. A coroação da monarca havia sido a última até então, acontecendo a quase 70 anos, em junho de 1953.

Mais de 2.200 pessoas participaram da celebração. De acordo com o Palácio de Buckingham, foram convidados representantes de 203 localidades pelo mundo, bem como agentes comunitários e de caridade.

VEJA TAMBÉM: Charles 3º assume trono com fortuna estimada em £ 1,81 bi

O rito é profundamente religioso. Foi celebrado pelo arcebispo da Cantuária, Justin Welby, líder da Igreja Anglicana.

O rito é profundamente religioso. Foi celebrado pelo arcebispo da Cantuária, Justin Welby, líder da Igreja Anglicana.

O significado das roupas

Colobium Sindonis

Após a unção com os santos óleos, o rei é embrulhado numa túnica de linho branco, semelhante a uma camisola, com uma gola lisa, fechada com um único botão, que pretende representar a batina dos sacerdotes.

O Colobium Sindonis usado por Charles III foi confecionado pela Ede & Ravenscroft para a coroação do seu avô, o rei George VI, que aconteceu a 12 de maio de 1937 na Abadia de Westminster.

Supertúnica

Tem a forma de um casaco dourado com mangas compridas e é usada por baixo do Manto Imperial.

É vestida depois da unção e é presa com o cinto da espada da coroação. Fabricada em 1911 (por Wilkinson and Son, Robe-makers and Tailors) para a coroação do rei George V, a veste foi usada pelo rei George VI e pela rainha Elizabeth II e a sua forma assemelha-se à das coroações medievais.

Cinto da espada da coroação

Feito de tecido de ouro e bordada a fio de ouro com arabescos e volutas, o cinto da espada da coroação é forrado de seda vermelho-escura, com uma fivela de ouro estampada com emblemas nacionais (rosas, cardos e trevos) e uma presilha de ouro.

Durante a coroação, é colocado à volta da supertúnica. Apesar da tradição dizer que, a cada coroação, a Worshipful Company of Girdlers fornece um novo cinto ao soberano, Charles III optou por usar o cinto feito para a coroação do avô.

Para a sua utilização no dia da coroação, 6 de maio, o cinto foi alvo de trabalhos de conservação pela Royal School of Needlework. O cinto vai carregar a espada que deve ser usada pelo monarca “para a proteção do bem e o castigo do mal”.

Luva da coroação

A luva da coroação é feita para a mão direita do rei e, mais uma vez, Charles III usou uma peça do avô que foi fabricada pelos fabricantes Dents e bordada por Edward Stillwell & Company em 1937.

“A luva foi conservada pela Dents com o apoio da Worshipful Company of Glovers” e é usada para segurar o ceptro do soberano durante a coroação, sendo retirada antes do monarca subir à cadeira do trono.

Feita de couro branco, o “pulso é bordado com fio de metal dourado, arame e lantejoulas com emblemas nacionais, incluindo a rosa Tudor, o cardo, o trevo, as folhas de carvalho e as bolotas.

A palma da mão apresenta uma coroa ducal bordada em veludo vermelho sobre o brasão da família dos Duques de Newcastle. O pulso é forrado com cetim vermelho”.

Manto de Estado do rei (usado na chegada)

Usado por Charles III na chegada à Abadia de Westminster. Foi usado pelo rei George VI na coroação, em 1937, e durante a preparação para a cerimónia da Coroação, o veludo foi recuperado pela Escola Real de Bordados e o forro e as rendas douradas foram recuperados pelos alfaiates da Ede e Ravenscroft.

Manto de Estado da rainha (usado na chegada)

Usado por Camilla para a chegada à Abadia de Westminster. Foi mandado fazer para a coroação da rainha Elizabeth II em 1953 e é feito de veludo carmesim.

Para ser utilizado no próximo sábado, foi recuperado e ajustado pelos alfaiates da Ede e Ravenscroft.

Manto real de sua majestade (usado na saída)

O manto do rei é feito de veludo de seda púrpura bordado a ouro e foi usado pelo Rei George VI em 1937. Os fabricantes de robes de Ede e Ravenscroft conservaram e prepararam o robe antes da Coroação.

Manto real da rainha (usado na saída)

É a única peça nova desta lista e foi feito pelos alfaiates da Ede e Ravenscroft, tendo sido concebido e bordado à mão pela Escola Real de Bordados (Royal School of Needlework), instituição da qual a rainha consorte é patrono desde 2017.

O desenho do manto da coroação de Camilla “baseia-se nos temas da natureza e do ambiente, apresentando os emblemas nacionais do Reino Unido, bem como prestando homenagem ao rei.

O manto usa um veludo púrpura, escolhido para combinar com o manto do rei, e foi bordado pela Royal School of Needlework usando a técnica Goldwork, com o design a incorporar também o monograma do rei”.

Manto imperial

Veste mais antiga usada por Charles III na coroação. Usado por cima da supertúnica, o Manto Imperial tem um design mais semelhante a uma túnica e é feito de tecido de ouro, fios de ouro, prata e seda, seda, franja de ouro e um fecho de ouro em forma de águia e a forma da Ampulla que conterá o óleo do Crisma.

Foi confeccionado pelo alfaiate John Meyer em 1821, e a ourivesaria real de George IV, Rundell, Bridge and Rundell, fez o fecho da águia em ouro, e utilizado na coroação de rei George IV em 1821, do rei George V, do rei George VI e da rainha Elizabeth II.

CNN Brasil

Posts Recentes
Formulário

Quer receber noticias ?

Preencha com seu E-mail, WhatsApp e vamos te enviar novidades

Compartilhe nas redes sociais

Artigo relacionados